Com três casos confirmados no Brasil, muita gente se preocupa em como prevenir o coronavírus na escola e em outros locais com circulação constante de pessoas. Esse é um questionamento válido, já que o vírus apresenta grande capacidade de contágio e disseminação. Se quiser saber quais são as medidas mais indicadas para minimizar a transmissão do coronavírus na escola, continue lendo.

O coronavírus e seus aspectos gerais

Recebe o nome de coronavírus, uma classe de vírus que possuem como formato uma coroa. São conhecidos desde o ano de 1960 e são responsáveis por causar doenças como a Síndrome Respiratória Aguda Grave (SARS) e a Síndrome Respiratória do Oriente Médio (MERS). Entretanto, esses vírus estão também comumente relacionados a doenças respiratórias mais brandas.

O coronavírus descoberto mais recentemente está sendo denominado como 2019-nCoV e foi isolado no início deste ano, após sua detecção em Wuhan, uma cidade na China.

Pesquisas demonstram que 80% dos casos do novo coronavírus, apresentam sintomas mais leves. Apesar de ainda não haver um número oficial, a taxa de letalidade pelo novo coronavírus demonstrou ser de 3,5% na China e 1,5% em outros países.

Qual é o período de incubação e de transmissão do coronavírus?

É denominado período de incubação o tempo que leva desde a infecção até o aparecimento dos primeiros sintomas. Esse período, para o coronavírus, varia de 2 a 14 dias e, em geral, a transmissão pode ocorrer enquanto durarem os sintomas. Contudo, o período exato que o coronavírus pode ser transmitido ainda é desconhecido.

Como o coronavírus é transmitido?

O coronavírus pode ser transmitido pelo ar através das gotículas de saliva provenientes da tosse, espirro e fala de pessoas infectadas. Além disso, é transmitido também por meio do contato, como beijos, apertos de mãos e abraços. Superfícies não higienizadas também podem ser meios transmissíveis do vírus.

Quais são os sintomas do coronavírus?

Os sintomas mais comuns incluem tosse seca ou com secreção e febre acima de 37ºC. Dentre os mais graves é possível destacar dificuldade respiratória aguda e insuficiência renal. Outros sintomas possíveis são dores no corpo, inflamação na garganta, diarreia e congestionamento nasal.

Como o diagnóstico é realizado?

O diagnóstico é feito através da retirada de amostras aéreas como aspiração de material respiratório ou indução do escarro. Por meio de exames utilizando a biologia molecular, é possível identificar o RNA do vírus e confirmar o diagnóstico.

Há tratamento para o coronavírus?

Ainda não existe nenhum medicamento ou vacina específica para o coronavírus. Entretanto, em caso de infecção, além das recomendações de repouso e ingestão de água, antitérmicos e analgésicos podem ser indicados para alívio dos sintomas causados pela doença.

O uso de umidificadores e banhos quentes também são capazes de minimizar as tosses e dores de garganta.
Os pacientes que recebem alta durante a primeira semana de sintomas, devem ser alertados para uma possível piora do quadro. Indícios de alerta para complicações do caso incluem reaparecimento ou elevação da febre, taquicardia, fadiga, falta de ar, dor no peito e sinais respiratórios.

Dados atuais sobre o coronavírus

No Brasil, hoje, há três casos confirmados e 531 suspeitos. Os casos em análise são de pessoas que vieram de outros países, evidenciando que ainda não há indícios de circulação do vírus no país. Até então, 240 casos suspeitos já foram descartados no Brasil.

Medidas para minimizar o risco de transmissão do coronavírus na escola

Abaixo seguem algumas medidas que professores, alunos e outros colaboradores devem manter para que a disseminação do vírus seja reduzida no ambiente escolar.

Para professores e educadores

Saiba quais são as recomendações

1. Conscientize sobre o vírus, seus sintomas e aspectos gerais

A conscientização é o principal meio para que medidas preventivas sejam tomadas. Conhecendo o vírus, sua forma de transmissão e seus sintomas é possível identificar mais claramente os sinais de infecção e ainda se prevenir com maior clareza. Palestras e trabalhos sobre o assunto são boas maneiras de fazer com que os alunos aprendam mais
sobre as peculiaridades desse vírus.

2. Reforce a importância do aluno ou colaborador doente permanecer em casa

Para minimizar a transmissão e disseminação do vírus pelo ambiente é muito importante conscientizar o doente a ficar em casa e não comparecer à escola ou ao trabalho. Nesse contexto, é essencial expor quais são os principais sintomas, para que os estudantes os identifiquem rapidamente e procurem o apoio médico.

3. Promova os bons hábitos

É essencial ensinar bons hábitos de higiene aos alunos. O modo correto de lavar as mãos pode ser explicado através de cartazes e vídeos educativos. O mesmo pode ser usado para instruir sobre o uso do álcool em gel. A utilização de lenços descartáveis deve ser incentivada, bem como o hábito de cobrir a boca e o nariz ao tossir e espirrar.

Para colaboradores envolvidos com a limpeza, organização e zeladoria da escola

4. Mantenha o ambiente ventilado e limpo

As cadeiras, mesas e todas as superfícies que entram em contato com os alunos devem ser higienizadas frequentemente, de preferência a cada troca de turma. A contaminação por superfícies é uma das principais formas de disseminação do vírus, por isso, é essencial que esses locais estejam sempre limpos.

Além disso, um ambiente ventilado pode minimizar a transmissão de diversas doenças respiratórias que podem potencializar os sintomas do coronavírus. Lixeiras com tampa em todas as salas de aula são meios de minimizar a contaminação do ambiente. Dispensadores de álcool em gel em ambientes comuns também são importantes para
reduzir a disseminação.

Conclusão

O coronavírus na escola pode ser um fato alarmante para muitos. Contudo, nas condições atuais que estamos, não há motivos para pânico. Apesar de ser um vírus altamente contagioso, a maioria das infecções apresenta uma evolução benigna e os casos de letalidade são bastante inferiores a outras viroses.

Por isso, o mais importante agora é seguir os bons hábitos de higiene pessoal e manter os locais com aglomeração de pessoas sempre limpos e ventilados. Seguindo essas recomendações, é possível minimizar a transmissão do coronavírus na escola, em shoppings, igrejas e outros recintos fechados ou com grande circulação de pessoas.

Compartilhe