Os levantamentos de dados epidemiológicos e de criadouros dos mosquitos são as principais pesquisas para criação de medidas contra a Dengue e outras doenças relacionadas ao Aedes Aegypti. Em contrapartida, não se pode negligenciar o papel dos laboratórios de pesquisa contra a Dengue. Neles é possível entender o comportamento da doença e a ecologia do vetor, por exemplo.

Esses dados são de suma importância para a instrução dos profissionais de saúde em como lidar com a patologia, além de fornecer conhecimentos para formulação de possíveis medicamentos ou vacinas para controle futuro. No Brasil, diversos centros de pesquisa estudam os mecanismos biológicos envolvidos na infecção pelo vírus da Dengue.

Os laboratórios envolvidos nessas pesquisas necessitam de equipamentos específicos para estudo comportamental dos mosquitos, sua estrutura e fisiologia, desenvolvimento de ensaios antivirais e de capacidade de infecção, dentre outras avaliações possíveis.

os 10 equipamentos mais utilizados em laboratórios de pesquisas contra a Dengue

Veja abaixo quais são os principais equipamentos usados e a função de cada um na pesquisa contra a Dengue.

1. Microscópio ótico

A partícula viral é muito pequena, não sendo possível a sua observação através de um microscópio de luz. Entretanto, esses aparelhos são muito utilizados nos estudos contra a Dengue. Através deles é possível a observação de como o vírus atua nas células previamente infectadas. A análise da porcentagem de morte e viabilidade celular é uma das formas de caracterizar a capacidade infectiva do sorotipo estudado.

2. Fluxo Laminar

Em algumas pesquisas contra a Dengue, é possível avaliar a capacidade infectiva do vírus através dos danos que estes causam em células específicas. Para descartar a ação de outros micro-organismos sobre a viabilidade celular, é necessário a utilização de um ambiente estéril para manipulação das células em conjunto com o vírus da Dengue.

Dessa forma, todo o material utilizado na pesquisa deverá ser manuseado em um fluxo laminar. Esses equipamentos mantêm o seu interior estéril através da utilização de filtros de alta eficiência que garantem a pureza do ar filtrado.

3. Capela de exaustão

Em laboratórios é comum a utilização de produtos que apresentem alguma toxicidade ao manipulador. Nas pesquisas contra a Dengue é possível utilizar ácidos, solventes e fixadores celulares que podem ser danosos à saúde do pesquisador.

Nesse sentido, é importante como meio de proteção individual e coletiva, a utilização de um equipamento que permita a realização dessas atividades com segurança. A capela de exaustão, como seu próprio nome enfatiza, tem como função exaustar os vapores tóxicos para fora do ambiente de trabalho.

4. Contador de células

A visualização do efeito viral sobre a célula é muito importante. Entretanto, em algumas situações, é interessante medir a viabilidade celular para comparar com outros sorotipos ou até mesmo avaliar a ação de um fármaco antiviral. Por esse motivo, a utilização de um contador de células é essencial nesses ensaios.

5. pHmetro

Para se trabalhar com processos biológicos, é necessário que se tenha situações adequadas que mimetizem a fisiologia natural na qual esses organismos estão habituados. Nesse sentido, a verificação do pH é essencial para a manutenção das condições ideais e para fins de comparação com o contexto real e natural.

Sendo assim, o pHmetro, capaz de medir alterações no pH de uma amostra, é um aparelho muito importante para todos os laboratórios, inclusive para os de pesquisas contra a Dengue.

6. Incubadoras de células

Como já citado, utilizar células em pesquisas virais é muito comum para verificação da capacidade de infecção dos vírus estudados. É essencial que as células estejam em um ambiente que mantenha as condições ideais para sua viabilidade, principalmente para que seja possível a comparação entre as células saudáveis e as infectadas.

As incubadoras celulares são importantes por manterem a temperatura e o nível de CO 2 constantes em seu interior, fazendo com que as células não sofram os danos com as variações dessas condições.

7. Analisador bioquímico

Muito utilizados em testes sorológicos, esses analisadores são essenciais para identificação da doença. São responsáveis por fornecer análises após a dosagem de componentes, utilizando reagentes específicos. Com eles, é possível distinguir também o sorotipo da infecção viral.

8. Autoclave

Para evitar efeitos indesejáveis de contaminação, é essencial a utilização de um equipamento capaz de desinfectar as vidrarias e materiais reutilizáveis. A autoclave tem essa função por utilizar o vapor sob pressão. Em alguns casos, esses aparatos utilizam produtos químicos para auxiliar o processo de descontaminação.

9. Centrífugas

Importantes em vários aspectos da pesquisa viral, as centrífugas têm a sua principal função voltada para a purificação da partícula do vírus. Nos ensaios de propagação e concentração do vírus da Dengue, primeiramente células são infectadas e analisadas até aparentar perda de sua viabilidade. Após essa constatação é possível concentrar as partículas virais resultantes através de sucessivas centrifugações.

Ao utilizar períodos e quantidade de rotações específicas, é praticável o isolamento dos vírus purificados dentre os resquícios celulares.

10. Aparelho de eletroforese

A eletroforese é uma técnica importante para evidenciar a pureza de um vírus. A utilização de um vírus purificado é interessante para a pesquisa principalmente por descartar a ação de outros agentes sobre a célula ou o organismo infectado. Dessa forma, é primordial após as etapas de purificação viral, confirmar se o vírus não está contaminado com restos celulares, por exemplo.

Os aparelhos de eletroforese auxiliam nessa análise, pois através deles é possível observar as proteínas de um material que são separadas de acordo com seu tamanho por meio de uma diferença de potencial empregada no aparato.

Ao utilizar um padrão, é detectável se somente as proteínas do vírus da Dengue estão presentes, ou se há outras macromoléculas derivadas

dos compostos celulares, por exemplo. Dessa forma constata-se a pureza, ou não, do material estudado.

A importância dos laboratórios de pesquisas contra dengue

Os laboratórios de pesquisas contra a Dengue são essenciais na produção de materiais que servem de informação para o governo e a população lidarem da melhor forma contra a doença e seus sintomas. A perspectiva é que em breve, fármacos eficientes contra a doença sejam disponibilizados através de estudos como esses, proporcionando maior qualidade de vida e bem-estar.

Compartilhe