O governo de São Paulo tem realizado a flexibilização na quarentena de acordo com a situação de cada região do estado. Nesta segunda-feira, dia 13, foi anunciado que universidades, cursos de idiomas e escolas técnicas poderão retomar algumas atividades em cidades mantidas por mais de 14 dias na fase amarela do Plano São Paulo.

Como será a flexibilização da quarentena nesses estabelecimentos

O retorno só poderá acontecer com a presença de no máximo 35% dos alunos matriculados nas unidades. Medidas do protocolo de educação também deverão ser implementadas, mantendo a distância de 1,5 metros entre cada aluno, além da utilização obrigatória de máscaras. Prioritariamente, o retorno das aulas será para as graduações de áreas da saúde.

A explicação para escolha desses cursos, em especial, é explicada pela possível falta de profissionais em um futuro próximo, já que a maioria não conseguirá concluir o curso em tempo hábil. Sendo assim, as universidades da cidade de São Paulo poderão iniciar as aulas, pois a área já está incluída na fase amarela há 14 dias. Dessa forma, os cursos livres, de idiomas e escolas técnicas também poderão abrir as suas portas aos alunos na cidade.

Já a Baixada Santista, incluída dia 13 na fase amarela, por exemplo, deverá se manter nessa situação por 14 dias para que suas aulas em universidades sejam liberadas. Além disso, as aulas iniciadas deverão ser de cunho prático, mantendo o ensino à distância
das disciplinas e conteúdos teóricos.

O que é o Plano São Paulo?

O plano São Paulo é uma estratégia do governo para retomada das atividades no estado, considerando a ciência e a saúde. De acordo com esse planejamento, o retorno das atividades econômicas será feito de forma consciente e gradativa, conforme a situação de cada área.

Sendo assim, o estado permanecerá dividido em cinco níveis de abertura, onde a requalificação para fase mais restritiva será feita semanalmente caso ocorra uma piora nos índices avaliados. Do mesmo modo, cada região poderá abrir seus estabelecimentos em conformidade ao estágio em que se encontra.

No estado, atualmente, há sete regiões na fase amarela (fase 3), são elas: a cidade de São Paulo, cidades da região metropolitana leste, sudeste, sudoeste e oeste, além da Baixada Santista e Registro.

Regras para cursos livres

Os cursos livres, como os de idiomas, informática e artes poderão retornar às aulas, já na fase laranja (fase 2) desde que o número de alunos seja limitado a 20% dos inscritos. Já na fase amarela será possível a presença de 40% do total de alunos. Tais cursos foram incluídos na categoria de serviços, o que permitiu o seu retorno em uma fase distinta dos centros de ensino regular.

Esse é mais um passo na flexibilização da quarentena e retomada das atividades no estado de São Paulo. Toda etapa de liberação é avaliada de acordo com as características de cada cidade com relação à ocupação de leitos, variação de casos, internações e óbitos. Dessa forma, é possível realizar uma liberação gradual e com maior segurança durante a pandemia.

Compartilhe