Placa de Petri

2 Produto(s)

por página

Tabela  Lista 

Direção Ascendente
  1. Placa de Petri em Alumínio com Tampa RIC067

    Placa de Petri em Alumínio com Tampa RIC067

    SKU: RIC067
    R$25,35
    R$24,59 com 3% de desconto no boleto/transf
    Placa de Petri em Alumínio com Tampa RIC067 Detalhes
  2. Placa de Petri em Aço Inox com Tampa RIC068

    Placa de Petri em Aço Inox com Tampa RIC068

    SKU: RIC068
    R$79,95
    R$77,55 com 3% de desconto no boleto/transf
    Placa de Petri em Aço Inox com Tampa RIC068 Detalhes

2 Produto(s)

por página

Tabela  Lista 

Direção Ascendente

Placas de Petri: O que são, sua história, tipos e aplicações

As placas de Petri são em diversas aplicações, principalmente para cultivar células e micro-organismos como fungos e bactérias. Sua principal função é separar os organismos cultivados do ambiente externo, inibindo qualquer interferência pertinente ao lado de fora da placa. É um dos objetos mais utilizados em laboratórios e seu nome é em homenagem ao pesquisador que a desenvolveu.

Tudo o que você precisa saber sobre as placas de Petri

As placas de Petri são objetos amplamente utilizados em diversas aplicações, em laboratórios, centros de pesquisas, na indústria e até em clínicas de fertilização. Podem ter variados tamanhos e particularidades específicas para cada finalidade, sendo multifuncionais e trazendo maior praticidade ao ambiente laboratorial.

O que são as placas de Petri?

São frascos com formato cilíndrico, rasos e que contém tampa com o objetivo de manter o ambiente interno isento dos contaminantes do lado de fora.

Tipos de placas de Petri

As placas de Petri podem ser divididas de acordo com o tipo de material que são fabricadas, o tamanho que são comercializadas, o tipo de ensaio a que são destinadas e a quantidade de compartimentalização, quando assim disponível. Para entender um pouco melhor, prossiga com a leitura.

1. De acordo com o tipo de material da Petri

Dependendo do tipo de material de fabricação, as placas de Petri podem ser feitas em vidro, plástico, aço inox ou alumínio. Veja quais são as especificidades de cada uma.

Placas de Petri em vidro 

As placas de Petri em vidro são as reutilizáveis, pois são passíveis de serem autoclavadas. Podem apresentar subdivisões, permitindo a realização de variados ensaios em uma mesma placa. Também podem ser usadas para muitas outras aplicações e por serem produtos autoclaváveis, possuem alta resistência térmica.

Placas de Petri em plástico

As placas de Petri feitas em plástico também podem ser utilizadas para muitos fins. São descartáveis, por isso seu descarte deve ser feito por incineração, principalmente se forem utilizadas para ensaios com bactérias e outros micro-organismos patogênicos, impedindo assim uma contaminação posterior. Nesse contexto, as placas de Petri feitas em plástico são importantes para evitar a contaminação cruzada em laboratórios. Algumas placas de Petri de plástico são livres de distorção óptica, permitindo a visualização adequada de células e micro-organismos ao microscópio.

Placas de Petri em aço inox

Suportando até 700ºC, em geral, essas placas são autoclaváveis e são utilizadas nas análises microbiológicas de líquidos e fluidos. Placas de Petri em alumínio Suportam uma temperatura mais baixa, no máximo até 300ºC, mas possuem a mesma indicação das placas em aço inox, sendo usadas comumente em análises microbiológicas.

2. De acordo com o tamanho da placa de Petri

Ter diferentes tamanhos é importante para trazer ainda mais funcionalidade às placas de Petri. Geralmente para ensaios de análise e avaliação microbiológica, são utilizadas as placas maiores, possibilitando verificar com maior clareza a quantidade de micro-organismos contidas no material analisado. Para testes de drogas, por exemplo, as placas pequenas podem ser adequadas. Contudo, não há um tamanho exato para cada aplicação e a escolha do modelo ideal dependerá também da familiaridade e afinidade do usuário com o objeto.

3. De acordo com o tipo de ensaio

Que as placas de Petri são usadas em variadas aplicações, isso você já sabe, mas elas também podem ter peculiaridades que as tornam ideais para determinados ensaios. Por exemplo, algumas placas de Petri possuem a sua superfície ativada, o que as tornam adequadas para a adesão e proliferação celular. Outras apresentam a superfície hidrofóbica e não possibilitam a adesão celular. Há também as placas de Petri estéreis, além das próprias para cultivo de tecidos e crescimento bacteriano.

4. De acordo com o tipo e a quantidade de compartimentalização 

Essas placas de Petri podem ter dois ou mais compartimentos que facilitam determinados ensaios. São bastante úteis para verificação do efeito de distintas drogas em um determinado tipo celular ou outro organismo estudado. Entretanto, é preciso ter bastante cuidado nesses experimentos, pois pode haver contaminação cruzada entre os diferentes tratamentos, o que pode afetar as conclusões dos resultados.

A história das placas de Petri

A placa de Petri foi inventada por Julius Richard Petri, que identificou a dificuldade de cultivar micro-organismos em placas planas, já que não continham com eficiência o meio de cultivo que, geralmente, se derramava juntamente às colônias de bactérias. Imagine o tanto de tempo, dinheiro, meio e cultura bacteriana era desperdiçado quando esses acidentes aconteciam! Para melhorar essa metodologia algumas etapas foram utilizadas com o objetivo de reduzir o problema, até chegar à técnica de construir um prato superior maior, que serviria de tampa, juntamente a um prato inferior menor, onde seriam alocadas as colônias e o meio. 

Na época de Petri, as placas eram feitas em vidro. Com o passar dos anos, muitas outras tecnologias foram desenvolvidas, inclusive a inclusão do plástico, a utilização de técnicas para promover uma melhor aderência à superfície das placas e a ideia de compartimentalizar um único recipiente, otimizando o espaço e possibilitando mais ensaios em apenas uma placa. Atualmente, as placas de Petri são itens quase que indispensáveis em laboratórios e outros centros de pesquisas. Graças a uma ideia tão genial de uma pessoa que não se conformou com uma rotina de desperdícios e que se empenhou em facilitar todo esse processo.

Quais são as áreas que mais utilizam as placas de Petri?

Por ser um item com tantos tipos e também muito funcional, as placas de Petri podem ser aplicadas em muitos âmbitos. Veja abaixo em quais principais áreas as placas de Petri podem ser utilizadas.

Microbiologia 

Em microbiologia as placas de Petri são especialmente importantes por possibilitarem o cultivo de diversas bactérias e fungos em meios sólidos e semissólidos. Esses meios possuem os nutrientes necessários para o crescimento de micro-organismos, que após o inóculo são mantidos em um ambiente ideal para a proliferação. Dessa forma, as placas de tamanho menor são adequadas para estudos em larga escala, possibilitando maior economia de materiais nessas condições. 

Cultivo celular

As placas de Petri também podem ser utilizadas para cultivo celular. Placas destinadas à cultura devem apresentar idealmente uma superfície ideal e propícia para que as células possam aderir com facilidade. Agricultura e botânica Na botânica e agricultura as placas de Petri são importantes para germinação e cultivo de
plantas a partir de células isoladas.

Entomologia

Como se trata de um compartimento fechado e mais segregado do ambiente externo, as placas de Petri podem ser bastante úteis para estudar o comportamento de insetos, por exemplo. 

Química

A possibilidade de utilizar a placa de Petri aberta, sem sua tampa, pode ser útil na química para realizar a evaporação e secagem de solventes e outros produtos químicos.

Armazenamento de amostras

As placas de Petri também podem servir como reservatório dos mais variados elementos e amostras. Sua característica transparente permite a análise e inspeção mais claramente, além da possibilidade de armazenar diversas amostras em placas e empilhá-las, otimizando assim o espaço disponível.

Testes in vitro

Para realização de testes in vitro, as placas de Petri também podem ser úteis, sendo possível identificar as alterações que alguma droga, ou outro componente, causa em uma população de células ou outro organismo estudado.

Conclusão

Se você chegou até aqui, já sabe que as placas de Petri são ferramentas muito importantes para os mais variados estudos, sendo utilizadas amplamente em muitos locais e distintas linhas de pesquisa. Por demonstrar tamanha funcionalidade, antes de adquirir um produto como esse é preciso identificar qual será a sua principal finalidade e assim comprar a placa de Petri adequada para a sua necessidade e de seu ambiente de trabalho.

Placa de Petri com menor preço é na Loja Roster

Compre agora pela loja virtual da Loja Roster sua Placa de Petri com entrega rápida no Brasil inteiro, pagamento com desconto no boleto, nota fiscal e garantia.