Os microscópios são itens essenciais em qualquer laboratório. Dentre eles, há diversos modelos disponíveis. Ópticos, eletrônicos e digitais são alguns tipos de microscópios que podem ser encontrados em diversos ambientes. Mas afinal, você sabe qual é a diferença entre um microscópio óptico e um microscópio digital? Acompanhe a leitura para entender.

Microscópio óptico

O microscópio óptico utiliza a luz, em conjunto com lentes de vidro, para ampliar amostras. Esses equipamentos são compostos de instrumentos mecânicos, como a base de apoio, o braço, a platina para fixar a preparação, o revólver que possibilita a mudança de objetiva, o tubo que suporta a ocular e os parafusos que permitem movimentar a platina.

Além disso, possuem os componentes ópticos como um sistema de lentes que distribui a luz emitida, o diafragma que regula a quantidade de luz, a fonte luminosa, a lente ocular que amplia a imagem fornecida pela objetiva e a lente objetiva que está mais próxima da amostra.

A ampliação nesses microscópios é dada pela ação conjunta da lente objetiva com a ocular utilizada. A intensidade de luz pode ser regulada manualmente, assim como o foco e a escolha do campo de visão.

Microscópio digital

A microscopia digital surgiu da integração entre o controle do microscópio pelo computador e a aquisição de imagens digitais. Essa nova tecnologia possibilitou maior caracterização de estruturas e um melhor grau de automação desse equipamento. Nesse âmbito, há alguns softwares que permitem ajustes e aquisições automáticas durante o uso.

Alguns microscópios digitais possuem a apresentação semelhante à de um microscópio óptico convencional e, até mesmo, os mesmos componentes. Desse modo, permitem que a utilização manual do microscópio óptico seja feita, bem como o seu uso automatizado.

Os microscópios ópticos digitais precisam conter os componentes ópticos de um microscópio tradicional, além dos itens como câmera digital e outras ferramentas que permitem a automatização do mesmo.

Esse modelo de microscópio é muito utilizado quando se deseja ter um maior aumento do objeto visualizado. Pode ser usado tanto no ambiente laboratorial, como em indústrias e empresas que necessitam dessa característica. Nesse sentido, é muito comum na verificação de componentes em placas e diversas outras aplicações e setores.

Alguns desses microscópios apresentam apenas uma câmera para observar os materiais e não utilizam oculares, outros podem apresentar oculares e serem equipados com câmeras digitais. Os aumentos nesse tipo de microscopia podem alcançar até 20.000x. Contudo, essa ampliação é considerada um aumento vazio.

Quando é necessário observar uma imagem em maior aumento, sem necessariamente obter traços detalhados do material, o microscópio digital pode ser uma ótima alternativa. Entretanto, o aumento proporcionado por esses equipamentos é considerado vazio, justamente, por ampliar a imagem e não promover maior detalhamento da amostra.

Desse modo, nesses microscópios, uma faixa de aumento acima de 1800x já é considerada uma ampliação vazia.
Além das aplicações já citadas, o microscópio digital também é uma ótima opção para o ensino. A microscopia traz para o palpável, aquilo que, até então, era abstrato. Por esse motivo, utilizar microscópios em aulas, é uma ótima maneira de agregar conhecimento.

No entanto, nem todos os ambientes escolares possuem um laboratório destinado ao ensino e que contenha microscópios para utilização de todos os alunos. Dessa forma, um equipamento que permita a visualização por todos os estudantes ao mesmo tempo é uma maneira de trazer essa tecnologia para a sala de aula.

Por possuir câmeras acopladas, os microscópios digitais possibilitam que a imagem seja visualizada em computador e transmitida para outras telas. A microscopia digital veio para modernizar ainda mais a microscopia óptica. Veja as principais diferenças entre ambas e como a digitalização contribuiu para o aprimoramento da microscopia de luz.

Principais diferenças entre o microscópio óptico e o digital

Seleção da objetiva, escolha do contraste, controle de luz e motorização da platina. Essas são só algumas mudanças que ocorreram na microscopia óptica após o advento da microscopia digital. Veja abaixo as principais diferenças entre ambas e como a microscopia digital agregou maior modernidade para a microscopia de luz.

1. Aumento

O aumento no microscópio óptico convencional é dado pela ação das lentes objetivas e oculares. Esse microscópio pode chegar a ampliação de até 1500x. Os microscópios digitais, como já mencionado, conseguem alcançar um aumento de até 20.000x. No entanto, a partir de 1800x o aumento já é considerado vazio, ou seja, não agrega maior
detalhamento para a visualização, somente uma ampliação bruta.

2. Autofoco

Os microscópios ópticos mais antigos não possuíam o autofoco, alguns mais recentes já implementaram essa melhoria. Há algum tempo, o foco automatizado já é usado na microscopia de luz. Contudo, seu uso era possível através de hardwares específicos. Com a microscopia digital, o autofoco se tornou disponível através da análise e processamento das imagens.

Para possuir essa tecnologia, o microscópio necessita ter um controle digital da altura da amostra, um software especializado e permitir a aquisição das imagens via computador.

3. Varredura da amostra e aquisição automática de imagens

No microscópio óptico convencional, a aquisição de imagens em grande quantidade deve ser feita de forma manual. No microscópio digital, é possível automatizar esse processo, agregando maior praticidade e economia de tempo durante esse procedimento.

Conclusão

Em resumo, os microscópios digitais podem ser um modelo automatizado dos microscópios ópticos, quando esses possuem os mesmos componentes do microscópio de luz e agregam ferramentas digitais para facilitar os procedimentos, ou permitir unicamente a utilização computadorizada, como é o caso dos microscópios digitais USB.

A escolha de um microscópio ideal dependerá da necessidade de uso e do material que deverá ser analisado. Dessa forma, cada um desses modelos possui vantagens e desvantagens para cada âmbito. Por esse motivo, é necessário analisar qual será a finalidade desse aparelho antes de efetuar a aquisição.

Compartilhe